Estudo alerta: pais não estão protegendo seus filhos dos perigos da internet

04-11-2017

Em tempos de internet livre e smartphones ultra conectados, controlar o acesso dos filhos à internet virou uma tarefa difícil para os pais, mas se revela cada dia mais necessária.

Um estudo feito no Brasil e no mundo mostrou que embora mais da metade (52%) dos pais acredite que os riscos que as crianças correm na internet estejam aumentando, pouco mais de um terço deles (39%) conversa com seus filhos sobre as ameaças.

Mesmo que as autoridades atuem constantemente no combate ao crime virtual, sabe-se que a internet ainda dá espaço para promoção de ciberbullying, apresentação de conteúdo inadequado e até pedofilia.

Outro levantamento, feito apenas no Brasil, revelou que cerca de 10% das crianças já teve contato com um adulto desconhecido,  sofreu bullying online ou teve o perfil social hackeado. 

A pesquisa constatou que 20% dos adultos não fazem nada para proteger seus filhos dessas ameaças, apesar de uma proporção semelhante (22%) já ter visto menores em contato com ameaças online, especialmente na interação com estranhos.


Para 53% dos entrevistados, a internet afeta negativamente a saúde ou o bem-estar das crianças.

O que os pais estão fazendo

Infelizmente, boa parte dos entrevistados (61%) não consegue ou não se dá ao trabalho de conversar com as crianças sobre as ameaças virtuais. E quando tomam esse tipo de atitude, apenas verificam o histórico de navegação dos filhos, o que não é lá tão eficiente.

Mas, afinal, o que pode ser feito para melhorar esse controle?

Além de uma conversa franca e aberta sobre o assunto, é preciso combinar medidas práticas, como colocar os computadores nas áreas comuns da casa.

Em casos extremos, em que os pais suspeitem que algo está realmente fora de controle, vale contar com a ajuda de softwares específicos, que monitoram e até bloqueiam o acesso a certos conteúdos.

Outras dicas:

- Defina um limite de tempo de uso da internet;

- Proteja dispositivos e contas online com senhas e peça para seus filhos não compartilhá-las com ninguém;

- Procure saber como é o acesso à internet de seus filhos na escola. Oriente as crianças a utilizá-la para fins acadêmicos;

- Reforce que aquela velha recomendação de não falar com estranhos também vale na internet.

  • Visto: 368

Comentar

Desculpe, nenhum resultado encontrado.