Empresas querem limitar uso da internet fixa e causam polêmica

Uma notícia está dando o que falar na internet e nas redes sociais. As principais fornecedoras de internet fixa no Brasil, como a Vivo, GVT, Net e outras, querem limitar o uso de dados de cada assinante e cobrar pelo excesso.


Essa é uma prática que já existe no fornecimento de internet móvel, mas gera muita reclamação por parte dos usuários.


Com a nova regra, aconteceria o seguinte: alguns planos teriam um teto mensal de uso, e se o cliente ultrapassá-lo, poderá ter a velocidade reduzida ou a conexão congelada.


Dessa forma, o usuário deverá ficar atento à velocidade de download e upload contratada. Será necessário ainda prestar muita atenção no limite do tráfego de cada pacote.


Em suma, terá que controlar bem o consumo de internet.


Como acontece hoje


Atualmente, os planos de internet fixa são regulados por velocidade, e não há limite máximo de dados. Por isso, os consumidores assistem aos vídeos, escutam músicas e fazem downloads pagando apenas pela velocidade com que esses dados trafegam, de acordo com o plano escolhido.


Repercussão


Com um limite de consumo, a experiência do usuário poderá ser seriamente prejudicada, pois será preciso ter mais controle sobre a navegação.


Pensando nisso, um grupo chamado “Movimento Internet Sem Limites” foi criado nas redes sociais e já recebeu 180 mil adesões (“curtidas”).


Há também um abaixo-assinado online “Contra o Limite na Franquia de Dados na Banda Larga Fixa”, que deve ser encaminhado às operadoras, à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e ao Ministérios Público Federal.


Como controlar os gastos


As operadoras deverão respeitar algumas exigências da Anatel para instituir essa prática, como a de oferecer ao consumidor uma ferramenta para que ele controle o volume de dados consumido.


Assim como acontece com as redes móveis, as empresas deverão emitir alertas ao usuário quando ele estiver perto de atingir o limite contratado.


Para o promotor Paulo Roberto Binicheski, que atua na defesa do consumidor, a proposta de alteração do sistema de cobrança reflete planos comerciais abusivos, com o propósito disfarçado de encarecer os custos de utilização da internet pelo usuário médio.

  • Lançamento: 2016-04-13 11:18:19
  • Visto: 413

Comentar

Desculpe, nenhum resultado encontrado.